imagem_release_1393038

Shell V-Power consegue pódio duplo com vitória de Zonta e terceiro lugar de Átila na segunda prova

Em Campo Grande, entrada do safety car na hora da abertura da janela de pit stop embaralha posições em confusa parte final da corrida

A Shell V-Power conquistou seu melhor resultado na temporada 2018 na segunda corrida da rodada de Campo Grande (MS), com a vitória de Ricardo Zonta e o terceiro lugar de Átila Abreu. O fim da prova foi confuso devido a uma entrada do safety car no instante da abertura de box para o pit stop obrigatório. Zonta já estava dentro do box quando a bandeira amarela foi agitada, mas outros efetuaram o pit sob regime de safety car e foram punidos..

Na prova inicial, os dois já haviam marcado pontos, com Átila em sétimo e Zonta em 12º, e, com isso, ambos subiram na tabela ao fim da rodada dupla. Agora, o paranaense é o sétimo colocado, três pontos à frente do companheiro de equipe.

Átila ganhou posições na largada da primeira corrida e se posicionou em 11º, duas posições à frente de Zonta. O sorocabano continuou sua progressão e subiu para nono nas primeiras cinco voltas, enquanto o paranaense ganhou uma posição.

Na primeira metade da prova, o piloto do carro #51 seguiu evoluindo e chegou ao sétimo lugar na décima volta. Faltando 20 minutos para o fim, abriu-se a janela de pit stops, e tanto Zonta como Átila ficaram na pista, estendendo o stint inicial.

Depois que todos pararam, Átila ficou em sétimo, enquanto Zonta, que chegou a andar em terceiro antes da troca de pneus, caiu para 14º. O sorocabano seguiu nessa posição até a chegada, enquanto Ricardo levou o carro #10 ao 12º lugar.

Na segunda prova, Átila manteve o quarto lugar após a largada, e Zonta ganhou duas posições, indo para décimo. Na segunda volta, o sorocabano poupou um disparo do push to pass, enquanto os rivais à sua frente o usaram. Com isso, na volta seguinte, Átila passou dois rivais para ficar em segundo.

No troca-troca de pushes, Átila chegou a cair para quinto nas voltas seguintes, mas logo se recuperou e voltou para segundo, passando três adversários. Quem também fazia boa corrida era Zonta, que já estava em sétimo na décima volta.

Em seguida, uma grande confusão aconteceu: assim que a janela obrigatória de pit stops se abriu, o safety car foi acionado. Como não iria entrar, Átila passou direto, enquanto outros pilotos hesitaram em entrar ou já estavam entrando para fazer o pit stop, caso de Zonta.

Átila assumiu a liderança e a manteve após a relargada, mas logo depois teve de fazer o pit stop e voltou em sétimo, o primeiro entre os que pararam depois. Por outro lado, Zonta herdou o primeiro lugar nas voltas finais e partiu para a vitória. No fim, quatro pilotos que estavam à frente de Átila foram desclassificados, o que promoveu o sorocabano para terceiro.

A Stock Car volta no dia 9 de setembro com a rodada dupla disputada em Cascavel (PR).

O que eles disseram:

“A corrida foi brilhante. É claro que houve alguns toques, consegui escapar e seguir. Meu carro estava espetacular. Na primeira corrida, se não tivéssemos demorado um pouquinho no pit, perdemos dois segundos, teríamos terminado entre os dez primeiros colocados. Mas a segunda corrida foi brilhante, tentei abrir o máximo possível. Meu carro realmente estava muito bom e sobrando pushes. Agradeço aos que votaram em mim no Fan Push, ajudaram muito! O Fan Push faz diferença sempre, poder usar o push por três voltas seguidas ajuda muito, no fim eu consegui abrir. Estou feliz demais, ganhar corrida é a melhor coisa que há!”

Ricardo Zonta, piloto do carro #10

“Tínhamos uma estratégia clara de terminar entre os dez primeiros na corrida inicial, com uma tática de combustível e de pneus para se posicionar bem para ganhar a segunda. Foi isso que fizemos. Fiz uma largada muito boa na primeira corrida, passei quatro caras por fora na freada do grampo. Daí vim crescendo, avançando, e cheguei a estar em sexto, mas abasteci um pouco mais e perdi uma posição por causa disso, mas me coloquei como uma das melhores estratégias para a corrida 2. O (Vitor) Genz segurou muito bem na segunda prova, mas daí eu e o Rubinho conseguimos escapar, nós o surpreendemos, e fizemos uma corrida à parte, os carros estavam muito parecidos. Quando tem um carro parado, falei com a equipe e iríamos parar. Quando faltavam duas curvas, a equipe mandou que eu não parasse, e o Rubinho entrou. Logo que ele entra, dá o safety car, e pensei que ele tinha ganho a corrida porque entrou no momento certo, mas ele abortou e uma galera entrou. Depois do pit stop, eu consigo voltar à frente mas o Rubinho me pressionou até ter um problema. Daí para minha surpresa puniram uns e outros não, e eu cheguei em terceiro. Fiz o meu trabalho e o que eu podia, fiz o que tínhamos programado. Vou continuar fazendo o meu trabalho para ganhar as corridas.”

Átila Abreu, piloto do carro #51

Resultado da primeira corrida:

1º F.Fraga – 42m12s393
2º D.Serra – a 1s860
3º M.Wilson – a 3s404
4º C.Bueno – a 6s567
5º C.Ramos – a 8s548
6º T.Camilo – a 9s687
7º Á.Abreu – a 10s782
8º G.Casagrande – a 11s815
9º R.Barrichello – a 16s430
10º V.Genz – a 17s077

Resultado da segunda corrida:

1º R.Zonta – 42m05s998
2º C.Bueno – a 30s236
3º Á.Abreu – a 34s708
4º N.Piquet – a 35s833
5º F.Lapenna – a 36s838
6º B.Figueiredo – a 38s306
7º M.Wilson – a 38s306
8º R.Barrichello – a 41s534
9º A.Khodair – a 44s095
10º G.Lima – a 45s252

Classificação do campeonato:

1º D.Serra – 191 pontos
2º M.Wilson – 148
3º F.Fraga – 147
4º M.Gomes – 135
5º R.Barrichello – 129
6º C.Bueno – 116
7º R.Zonta – 95
8º J.Campos – 92
9º Á.Abreu – 92
10º L.di Grassi – 68

imagem_release_1392983

Dupla da Shell V-Power parte para corrida de recuperação e sobrevivência na dura pista de Campo Grande

Ricardo Zonta e Átila Abreu vão largar na sétima fila na primeira prova da rodada dupla, no exigente e travado circuito sul-mato-grossense

A dupla da Shell V-Power vai largar na sétima fila na primeira corrida da rodada dupla da Stock Car em Campo Grande (MS). Ricardo Zonta ficou com o 13º lugar no Q2, apenas 0s030 à frente de Átila Abreu, o 14º.

Átila e Zonta entraram na pista apenas no segundo grupo do Q1 e o sorocabano se posicionou em quarto lugar, com 1m24s618, duas posições à frente de seu companheiro de equipe, que fez 1m24s735.

No entanto, com a variação das condições da pista, a segunda mais lenta do calendário, os dois pilotos da Shell V-Power ficaram com tempos piores do que na etapa inicial do treino, com Zonta fazendo 1m25s173 e Átila, 1m25s203.

Largando do meio do pelotão, a aposta de Átila e Zonta é no bom rendimento que os carros da Shell V-Power costumam apresentar em pistas que provocam um grande desgaste dos pneus, caso de Campo Grande.

A rodada dupla começa a partir das 13h (de Brasília) deste domingo, com a segunda corrida tendo a largada às 14h05, com grid invertido entre os dez primeiros colocados da prova inicial. O SporTV2 transmite as duas corridas ao vivo.

O que eles disseram:

“Tentamos tirar o máximo do carro, mas tínhamos um limite de frente e aqui se você abusa da frente, vai na sujeira e perde a saída de curva. Temos de analisar o porquê e tentar evoluir para as próximas corridas”

Ricardo Zonta, piloto do carro #10

“Meu carro estava muito bem em todos os treinos, tanto com pneu novo como com pneu velho, e passamos com facilidade pelo Q1 sem forçar o carro. Estava um pouco dianteiro, mas normalmente na segunda volta fica mais traseiro e compensa. Não sabemos o que aconteceu, perdemos totalmente o grip, ficou mais dianteiro ainda e perdeu velocidade de contorno. Tirei o pé na primeira volta porque achei que não era assim que viraria, mas foi só piorando. Precisamos entender por que o equilíbrio do carro piorou tanto, e foi com os dois carros. É frustrante, mas por outro lado o carro está bom para a corrida e vamos remar para fazer bons pontos e buscar a vitória na segunda corrida. Aqui será uma corrida de sobrevivência, o desgaste vai interferir muito, vamos ver o que fazer para ter o carro bom e crescer na corrida, mas o desgaste vai ser bom para nós”

Átila Abreu, piloto do carro #51

“Essa posição nos expõe mais ao risco na largada, que é sempre crítica aqui. Vínhamos muito confiantes após a performance nos treinos, principalmente o Átila, que estava muito bem de pneu novo e usado, mas no Q2 ficamos aquém do potencial. O carro do Ricardo não estava tão bem e também não conseguiu o máximo do potencial. Será uma corrida de sobrevivência, muito desgastante para pneus e freios, e será uma outra realidade”

Thiago Meneghel, chefe da Shell V-Power